PROGRAMA BALADA DA FADA

quarta-feira, 27 de março de 2013

Índices de criminalidade elevados, população insegura, e tudo continua igual

De Olho na Segurança Pública - Índices de criminalidade elevados, população insegura, e tudo continua igual

A imprensa divulgou na segunda-feira, 25, novos dados contendo velhas informações sobre a violência em São Paulo. Os índices de criminalidade na capital e no estado paulista cresceram pelo sétimo mês consecutivo. O número de latrocínios na cidade de São Paulo, por exemplo, dobrou no primeiro bimestre deste ano. O número de homicídios também cresceu (clique aqui).
Também no dia 25, uma pesquisa do Datafolha revelou que 71% da população não confia na política de segurança pública desenvolvida pelo governador Geraldo Alckmin. Três em cada quatro paulistanos acredita que o governo esconde informações sobre a escalada da violência no Estado (clique aqui).
A Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo, na luta pelos interesses da sociedade, vem insistentemente levantando os problemas dessas questões. Em contrapartida, a Secretaria da Segurança Pública tenta esconder os fatos (clique aqui). Porém, as informações verdadeiras vêm à tona novamente e comprovam a falência do sistema de segurança paulista.
Registre-se que as "pequenas conquistas" de 2011, enumeradas pela Secretaria da Segurança Pública na reportagem, são frutos do árduo trabalho de convencimento promovido pela Adpesp e não por reconhecimento do governo, como parece na nota. Ademais, se com tais conquistas alcançamos o 25º lugar no ranking salarial, qual seria nossa posição sem elas?
É evidente que o aumento da violência está relacionado à falta de incentivo que o Delegado de Polícia, primeiro garantidor dos direitos do cidadão, recebe do governo do estado. Por conta das péssimas condições de trabalho oferecidas, entre as quais se encontra o baixo salário (25º lugar no ranking salarial entre os 27 entes federados), há uma debandada de Delegados para outros Estados ou outras carreiras jurídicas.
A falta de Policiais Civis em todas as carreiras, a inexistência de perspectivas na carreira e a impossibilidade absoluta de se investigar os crimes, exceto quando explorado pela mídia, que determina quais os crimes serão investigados, robustecem o lamentável cenário. Sem contar com a escravidão permanente na equivocada cultura do "delegado de balcão" e o investimento maciço na Polícia Militar em detrimento da Polícia Civil, que amarga ainda o sucateamento e o descaso de décadas. Poderíamos esperar resultado diferente?
Como sempre, a sociedade paga a conta. Como sempre, pagamos todos nós!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você poderá fazer suas denúncias e comentários.
Se você recebeu algum comentário indevido. Utilize-se deste canal para sua defesa.
Não excluiremos os comentários aqui relacionados.
Não serão aceitos comentários com palavras de baixo calão ou denúncias infundadas. Aponte provas caso queira efetuar suas denúncias, caso contrário, seu comentário será removido.