PROGRAMA BALADA DA FADA

terça-feira, 5 de março de 2013

Tribunal do Júri de Contagem (MG) julga o ex-goleiro Bruno pelo sequestro e assassinato de Eliza Samudio


Entra na fase final o julgamento do ex-goleiro Bruno Fernandes, acusado de ser o mandante dos crimes de sequestro, assassinato e ocultação de cadáver da ex-namorada, Eliza Samudio, para não ter de reconhecer o filho que teve com a jovem, e nem pagar pensão alimentícia. Bruno está sendo julgado em Contagem (MG), juntamente com a ex-mulher dele, Dayanne Rodrigues do Carmo Souza, que responde pelo sequestro e cárcere privado do filho da modelo.
Nove pessoas são acusadas de participação na morte Eliza Samudio. Três envolvidos já receberam sentença e cinco réus vão a júri em 2013.

O julgamento dos acusados de assassinato de Eliza Samudio é uma resposta ao clamor e luta da sociedade no combate a todas as formas de violência contra a mulher, e pelo fim da impunidade dos agressores, objetivo da Campanha "Compromisso e Atitude pela Lei Maria da Penha - a lei é mais forte", lançada em 2012, pela Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR) e parceiros do Sistema de Justiça.
Acelerar os inquéritos e julgamentos nos processos de agressão, estupro e assassinato de mulheres, responsabilizando os autores é uma meta que se busca incessantemente para inibir esse tipo de crime, seja pela conscientização, denúncia e efetiva aplicação da Lei Maria da Penha.

"A atuação da campanha é no sentido de que a violência doméstica seja denunciada, enfrentada e coibida", afirma a secretária Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, da SPM, Aparecida Gonçalves.

Brasil - Segundo o Mapa da Violência 2012 (Cebela), de 1980 a 2010, foram assassinadas mais de 92 mil mulheres, sendo que 73% ocorreram dentro da residência da vítima e 92% cometidos por companheiros, cônjuges ou namorados, o que torna o Brasil o 7º país no ranking mundial de assassinatos de mulheres, apesar de o país contar com legislação avançada, como a Lei nº 11.340/2006 (Maria da Penha), que protege a mulher da violência no âmbito familiar e estabelece punição para além da agressão física: sexual, moral, psicológica e patrimonial.

Ligue 180 - Nos seis anos da Lei Maria da Penha, a Central de Atendimento à Mulher - Ligue 180, da Secretaria de Política para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR), registrou mais de três milhões de atendimento, dos quais 52% com risco de morte em relatos de violência contra as mulheres. Estudo da ONU aponta que um bilhão de mulheres sofrem maus-tratos e abusos, principalmente no ambiente familiar em todo o mundo.

Memória - Eliza Samudio foi morta por esganadura em 10 de junho de 2010, depois de ter sido seqüestrada no Rio de Janeiro e levada, juntamente com o filho, para um sítio em Esmeralda, Região Metropolitana de Minas Gerais, onde foi mantida em cárcere privado e, posteriormente, entregue ao
ex-policial "Bola", que a matou e desapareceu com o corpo. A expedição do atestado de óbito da jovem foi determinada pela Juíza de Contagem, Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, depois de decisão do Conselho de Sentença, em 24 de janeiro de 2013, a pedido do Ministério Público e da família.

Julgamento - Em 19 de novembro de 2012 teve início o julgamento do ex-goleiro Bruno, Macarrão, Bola, Dayanne e de Fernanda Gomes de Castro, as duas últimas acusadas de sequestro e cárcere privado do filho de Eliza Samudio. Na ocasião, Macarrão foi condenado a 15 anos de prisão pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado de Eliza Samudio e filho. Fernanda, então namorada do goleiro, foi condenada a cinco anos de prisão, em regime aberto, pelos crimes de cárcere privado e
sequestro da ex-namorada de Bruno e do filho dela.

O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, acusado de ter executado o crime e desaparecido com o corpo, está com julgamento marcado para 22 de abril deste ano.

Outros dois acusados serão julgados separadamente: Elenílson Vítor da Silva e Wemerson Marques de Souza. Sérgio Rosa Sales, primo de Bruno, foi morto a tiros em agosto de 2012. Outro suspeito de envolvimento no crime, Flávio Caetano Araújo, foi indiciado, porém teve o processo arquivado.

Bruno está preso há mais de dois anos, na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, Minas Gerais.

São instituições parceiras da Campanha "Compromisso e Atitude", O Ministério da Justiça, o Conselho Nacional de Justiça, o Colégio Permanente dos Presidentes dos Tribunais de Justiça, o Conselho Nacional dos Procuradores de Justiça, o Conselho Nacional de Defensores Públicos-Gerais e o Conselho
Nacional do Ministério Público.

Campanha "Compromisso e Atitude pela Lei Maria da Penha"
Secretaria Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres
(SPM-PR)
61 3411 5849 / 9603 0627
www.compromissoeatitude.org.br

Participe das redes sociais da campanha:
www.facebook.com/compromissoeatitude




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aqui você poderá fazer suas denúncias e comentários.
Se você recebeu algum comentário indevido. Utilize-se deste canal para sua defesa.
Não excluiremos os comentários aqui relacionados.
Não serão aceitos comentários com palavras de baixo calão ou denúncias infundadas. Aponte provas caso queira efetuar suas denúncias, caso contrário, seu comentário será removido.