PROGRAMA BALADA DA FADA

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Ministério da Saúde cria grupo de trabalho para apoiar estudo da fosfoetanolamina


Ação tem como objetivo apoiar os estudos e orientar os ensaios clínicos com a substância e verificar se possui eficácia e fornece segurança à população

O Ministério da Saúde deve publicar nesta sexta-feira (30) portaria para apoiar os estudos clínicos e a produção da fosfoetanolamina, conhecida como “pílula do câncer”. O medicamento causou polêmica após ser apontado como revolucionário no tratamento de câncer, mas não conta com estudos clínicos que comprovem seus benefícios. De acordo com o documento, que determina a criação de um grupo de trabalho, o Ministério passará a apoiar as etapas para o desenvolvimento clínico do medicamento.

“Estamos colocando à disposição do professor responsável pela síntese dessa molécula a possibilidade de submeter à fosfoetanolamina a todos os protocolos para verificar se a substância é ou não eficaz e por fim a essa celeuma. Por isso, a recomendação do Ministério da Saúde é que as pessoas não façam uso dessa substância até que os estudos sejam concluídos”, orienta o ministro da Saúde.

O grupo contará com o apoio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para orientar os pesquisadores na elaboração dos protocolos clínicos e documentações necessária e deverá contar com o apoio do Instituto Nacional do Câncer (Inca) para a realização de estudos clínicos e também da Fiocruz. Para isso será elaborado um plano de trabalho que prevê desde a caracterização da molécula, passando pelo desenvolvimento da formulação, produção de lotes de medicamentos experimentais seguindo as Boas Práticas de Fabricação (BPF) da Anvisa e realização de estudos pré-clínicos, ensaios clínicos e estudos de farmacovigilância.

“A grande preocupação do Ministério da Saúde é que as pessoas deixem de realizar o tratamento adequado e que tem sua eficácia comprovado e passem a usar um medicamento que não tem cientificamente uma comprovação de benefícios e efetividade comprovada”, alertou o ministro da Saúde, Marcelo Castro.

De acordo com a portaria, o grupo de trabalho será composto por representantes do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A coordenação da iniciativa será de responsabilidade de um representante da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde.

A previsão é de que o grupo tenha um prazo máximo de 60 dias para apresentar o plano de trabalho das fases de desenvolvimento do projeto. Os nomes dos integrantes do grupo devem ser indicados nos próximos dias.


Tribulus Terrestre e Maca Peruana - Sabor Limão - Nutry Power

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

CINCO DICAS PARA PROFISSIONAIS DE MARCENARIA ECONOMIZAREM EM TEMPOS DE CRISE

Os profissionais de marcenaria sabem que prezar por matéria prima de qualidade e oferecer uma peça com acabamento refinado ajudam a fidelizar o cliente e a agregar valor aos seus produtos. Em tempos de crise, todo o cuidado para evitar desperdícios com materiais é importante para otimizar gastos e aumentar a lucratividade sem deixar de lado a qualidade do móvel.

Alexandre Novoselecki, diretor geral da REHAU, empresa alemã fornecedora de inovações e soluções à base de polímeros para a indústria moveleira, dá algumas dicas de boas práticas para economia em tempos de crise econômica aos profissionais desse setor:

1.Planeje todo o projeto antes de começar. Tudo começa com um bom planejamento do projeto, que deve ser preciso, detalhado e com boas medições. Saiba qual matéria-prima será necessária e se seu estoque atende à demanda do projeto, do começo ao fim. É importante ter um bom controle e gerenciamento de todos os processos de produção a fim de evitar desperdícios e também ter segurança de que você conseguirá entregar as peças no prazo prometido para o cliente.

2. Calcular os custos corretamente é fundamental. Um cálculo exato para o mínimo de desperdício é fundamental quando se fala em economia. Hoje existem diversas ferramentas online e aplicativos que ajudam a calcular a quantidade de material necessária para cada projeto. A REHAU, por exemplo, oferece o App "REHAU Soluções para Móveis", disponível para download gratuito em iOS e em Android, que permite o cálculo da metragem de fita de borda para o seu projeto. Quando você calcula os custos de produção com cuidado, você se certifica que sua margem de lucro não será prejudicada por imprevistos de última hora.

3. Use produtos de qualidade. A qualidade do acabamento do seu produto será o principal fator que garantirá a fidelização dos clientes. Por isso é importante trabalhar com produtos de qualidade e marcas de confiança, que ajudarão a agregar valor ao seu produto. Além de aumentar a satisfação do consumidor, a matéria-prima de qualidade também possibilita mais confiança na hora de executar o projeto e evita surpresas no meio do processo de produção.

4. Preste atenção na sua equipe. Sem uma boa equipe, não há um bom resultado. Ter pessoas capacitadas é essencial em todas as etapas do projeto, desde a operação das máquinas até a montagem, que idealmente deve ser realizada uma única vez, evitando a necessidade de "refação" de serviços. Afinal, tempo é dinheiro, e uma equipe bem treinada e que recebe atenção é uma equipe mais feliz, mais produtiva e que entrega produtos de qualidade superior.

5. Mantenha a manutenção do maquinário em dia. É fundamental seguir à risca as recomendações do fabricante para a manutenção do maquinário. Isso não só aumenta a vida útil do equipamento, o que significa mais lucratividade, mas também aumenta a sua eficiência na hora da produção. Um equipamento bem mantido e regulado é básico para todo e qualquer trabalho de marcenaria.

Sobre a REHAU

A REHAU é uma empresa líder nas áreas de Construção, Automóvel e Indústria no Brasil e no mundo e trabalha com o princípio de substituir materiais tradicionais por soluções criativas de polímeros de melhor desempenho. Está presente em mais de 170 localidades em 54 países, e possui mais de 18.000 colaboradores que contribuem para o crescimento e o sucesso da REHAU. Para mais informações, visite http://www.rehau.com.br


Caravana do Desenvolvimento Local e Trabalho Decente será lançada na segunda-feira, 26

Bairro do M’Boi Mirim recebe a primeira edição que tem o objetivo de fomentar o trabalho e a geração de renda, com ações focadas no empreendedorismo e desenvolvimento local

A Secretaria Municipal do Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo (SDTE) lançará na próxima segunda-feira, 26, às 14h30, em cooperação com a Agencia São Paulo do Desenvolvimento (Adesampa), a Caravana do Desenvolvimento Local e Trabalho Decente, no bairro do M’Boi Mirim, zona sul da capital. O objetivo do projeto é fomentar na cidade o trabalho e a geração de renda com ações focadas no empreendedorismo com o intuito de desenvolver o território local.

A população terá acesso à equipe técnica da Adesampa para orientar sobre as vantagens de se tornar um microempreendedor individual (MEI) com o negócio formalizado. Além do suporte, é possível realizar na unidade do MEI Móvel, que estará no local, emissão do carnê de pagamento mensal e vencido; impressão do comprovante de inscrição e situação cadastral (CNPJ); impressão do cadastro de contribuinte mobiliário (CCM); orientação sobre nota fiscal (comércio e prestação de serviços); declaração anual de rendimentos (do MEI); impressão da inscrição estadual; emissão de certificado da condição do MEI; alteração cadastral e cancelamento do MEI.

A viabilização dos negócios, por meio de financiamento, contará com o apoio da Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil, com os programas de microcrédito orientado e produtivo de ambos. Pela CEF, o programa Caixa Crescer disponibiliza linha de crédito com taxa de juros a 2,4% ao mês, sendo o mínimo de R$ 300,00 e o máximo de R$ 15.000,00. O primeiro empréstimo é no valor máximo de R$ 5.500,00

Para o secretário Artur Henrique, a Caravana se junta às diversas ações que a SDTE tem promovido para auxiliar na geração de trabalho e renda na cidade. “A estratégia é mapear e descobrir a vocação dos bairros por onde a Caravana passar. A Adesampa estará com agentes de desenvolvimento em contato com lideranças locais a fim de apurar e disseminar as informações que possam auxiliar a população a encontrar outros caminhos para gerar renda. O CATe (Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo) também estará nesse suporte, ofertando vagas de emprego e reforçando as relações com os empregadores da região para que a comunidade consiga trabalho, sem precisar fazer grandes deslocamentos. Além disso, queremos com essa ação montar uma agenda do Trabalho Decente na cidade

A programação ocorrerá na abrangência das 32 subprefeituras de São Paulo, disponibilizando a estrutura aos moradores por até cinco dias, dependendo da demanda da região.

Programação:

· Subprefeituras M'Boi Mirim / Capela Socorro

Período: 26 a 29 de outubro

Dias: 26 e 27/10 -M'Boi Mirim- Associação do Moradores Santa Lúcia - Rua das Variações Musicais, 100 – (paralela à Estrada da Baronesa) -

Dia: 28/10 - M'Boi Mirim - Praça do Aracati - Rua Inácio Couto com Estrada da Cumbica (ao lado base PM)

Dia: 29/10 - Capela do Socorro- Av. Ana Felícia Mendez, 01 – Chácara do Conde

· Subprefeitura Parelheiros

Período: 3 a 6 de novembro

Dia: 3/11 - Centro de Parelheiros – Rua Amaro de Pontes- (ao lado da Igreja Santa Cruz)

Dia: 4/11 - Parelheiros- Rua Maria Costa Bezerra, s/nº – Recanto Campo Belo

Dia: 5/11 - Parelheiros - Rua das Palmeira, 70 – Vargem Grande

Dia: 6/11 - Parelheiros - Rua Luigi de Caruso, 10 – Jardim São Norberto



· Subprefeituras Cidade Ademar / Campo Limpo

Período: 16 a 19 de novembro

Dia: 16/11 - Campo Limpo - Estrada de Itapecerica , 4015 (próximo ao Metrô Capão)

Dia 17/11 - Campo Limpo- Av. Comendador Santanna (próximo a loja Pernambucanas)

Dia 18/11 - Cidade Ademar- Pça. do Guacuri (Paralela a Estrada Alvarenga)

Dia 19/11 - Cidade Ademar- UBS- Jardim Domitela- 07 Campos



· Subprefeituras São Mateus/ Cidade Tiradentes

Período: 23 a 27 de novembro

Dia 23/11 - São Mateus- “Associação dos Moradores Nova Esperança”- Rua Morro das Pedras- Jardim Rodolfo Pirani

Dias 24 e 25 - São Mateus- Praça Felisberto Fernandes da Silva- Jardim Rodolfo Pirani

Dia 26 - Cidade Tiradentes - Avenida dos Metalúrgicos, altura do número 2.194 (Praça 65 - ao lado do Instituto Pombas Urbanas)

Dia 27 - Cidade Tiradentes- Av. Naylor de Oliveira, altura do número 01 (Praça Maria das Graças)



· Subprefeituras Pirituba / Lapa

Período: 30 de novembro a 4 de dezembro

30/11 a 1/12 – Lapa - Rua Paúva, 257 (Praça Dona Nair Zampieri)

Dias: 2, 3 e 4 – Pirituba - Av. Raimundo Pereira de Magalhães, 11.980 (em frente ao Mercado Atacadão)



· Subprefeituras Butantã / Perus

Período: 7 a 11 de dezembro

Dia 7: Butantã- Av. Vaticano, 128- (esq. c/ Rua Padre João da Cunha- Jd. João XXIII Dia 8: Butantã- Rua Baltazar Rabelo altura do numero 3,771 da Av. Corifeu de Azevedo Marques - (entrada da Comunidade São Remo- no estacionamento do Sup. Roldão)

Dia 9: Butantã- Av. Pujas Sabate, s/nº – alt. nº 839 da Av. Rio Pequeno- Jd. Ivana

Dia 10: Perus - Av. Dr. Sylvio de Campos- Pça. Luiz Neri- Centro Perus

Dia 11 Perus - Av. Cel. José Gladiador esq. c/ Rua Salvador Albano – Jd. Santa Fé – Morro Doce -

· Subprefeituras Ermelino Matarazzo / São Miguel Paulista

Período: 14 a 18 de dezembro

Dia 14: Ermelino Matarazzo - Pça. Giovanni Fianni- alt. nº 4.600 da Av. São Miguel c/ Rua Boturussu - Ponte Rasa

Dia 15: Ermelino Matarazzo - Praça 1º Maio com Av. Paranaguá- Centro Ermelino

Dia 16: São Miguel Paulista - Diogo Gonçalves Laço – Bairro do Jardim Romano – Distrito do Jardim Helena

Dia 17: São Miguel Paulista- Rua: São Gonçalo do Rio das Pedras (em frente a estação Jd Helena/Vila Mara – Bairro de Vl Mara

Dia 18: São Miguel Paulista - Rua José Otoni (no Mercado Municipal de S.M.P) -Galpão D - Pça. Padre Aleixo Monteiro Dias

*A programação pode sofrer alterações
Serviço

Lançamento da Caravana do Desenvolvimento Local e Trabalho Decente

Data: 26/10

Horário: 14h30

Local: Rua das Variações Musicais, 100 – (paralela à Estrada da Baronesa) – M’Boi Mirim 



quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Venda de imóvel antes de quitar o financiamento

Além de quitar o débito com a instituição financeira, o proprietário pode lucrar grandes valores, de acordo com a valorização do imóvel no período da venda

A venda de um imóvel ainda financiado está cada dia mais comum. Quem comprou um apartamento ou uma casa há mais de cinco anos, se beneficiou, e muito, com a valorização imobiliária ocorrida nos últimos tempos. Com isso, não é incomum os preços terem quintuplicado nesse período, como aponta o diretor do escritório de representação da Associação Brasileira dos Mutuários da Habitação (ABMH) em São Paulo, Alexandre Naves Soares.

Nesse cenário, ele destaca que as dívidas dos financiamentos imobiliários se tornaram percentualmente pequenas, se comparadas ao valor de mercado do bem. “O que tem encorajado muitas pessoas a vender (ou trocar) a unidade, antes mesmo do fim do prazo contratado, e sem quitar o empréstimo habitacional”, acrescenta Soares.

O diretor da ABMH conta que, até o final da década de 1990, era comum que, nesse tipo de transação (compra e venda de imóvel financiado), o empréstimo fosse transferido ao comprador que, a partir daí, assumia o pagamento das prestações. “Como às vezes a transferência junto ao banco não era possível (por exemplo, por impossibilidade de comprovação de renda), as partes acabavam por recorrer ao chamado ‘contrato de gaveta’, pelo qual o comprador continuava a pagar prestações e acessórios (inclusive seguro por morte e invalidez permanente) em nome do vendedor, e só teria a escritura definitiva na quitação do financiamento.”

De acordo com consultor jurídico da ABMH, Ricardo Pereira Chiaraba, atualmente, essa alternativa é pouco utilizada. “Era (e ainda é) muito arriscada, tanto para o comprador como para o vendedor, podendo implicar, por exemplo, na negativação do nome do vendedor (quando existe atraso no pagamento das prestações) e até na perda do imóvel por parte do comprador, por eventuais dívidas do vendedor que vierem a ser cobradas judicialmente.”

Hoje em dia, a venda de um imóvel objeto de financiamento não traz grandes complicações, e por isso mesmo tem caído no gosto dos proprietários. “O financiamento não impede que o bem seja vendido. A negociação é feita como se o bem estivesse livre e desembaraçado de quaisquer ônus. A única diferença é que o produto da venda será utilizado, primeiramente, para quitação do financiamento existente, e o restante será entregue ao vendedor”, explica Chiaraba.

Ele acrescenta dizendo que o comprador tem a possibilidade de adquirir o imóvel como outro qualquer, ou seja, pode pagar o preço da compra e venda com recursos próprios, FGTS, financiamento ou consórcio imobiliário. “A lógica é a mesma: se o imóvel adquirido estiver financiado, e o comprador também pretende financiar uma parte do preço, o dinheiro disponibilizado pelo novo financiamento vai quitar o empréstimo anterior (do vendedor) e o restante é repassado ao vendedor.”

Assim, a pessoa que pretende vender (ou trocar) um imóvel, esteja ele financiado ou não, deve ter os mesmos cuidados, tais como:

 Ter a segurança que o comprador terá condições de arcar com o preço combinado.

· Verificar quanto terá que pagar ao corretor de imóveis (se for o caso de venda por imobiliária ou corretor autônomo).

· Averiguar se e quanto terá que pagar de Imposto de Renda sobre o ganho de capital (se houver).

· Programar-se para fazer a entrega das chaves dentro do prazo estipulado no contrato.

· Certificar-se que todos os débitos do imóvel estão quitados, especialmente IPTU, taxas condominiais, água e energia elétrica.

· Contratar um profissional habilitado e com experiência, para elaboração do contrato de compra e venda, no qual devem ser especificados todos os detalhes da negociação (inclusive o financiamento existente – se houver), do estado e da conservação do imóvel.

· Se o imóvel vendido estiver financiado, verificar previamente qual o valor necessário para fazer a quitação do empréstimo, e – assim – saber quanto vai efetivamente receber pela venda.

Sobre a ABMH – Idealizada 1999 e mantida por mutuários, a Associação Brasileira dos Mutuários da Habitação (ABMH) é uma entidade civil sem fins lucrativos que tem como objetivo difundir as formas de defesa de quem compra imóveis, em juízo ou fora dele, com o efetivo cumprimento dos dispositivos legais. Atualmente, a Associação possui representações em 13 estados, além do Distrito Federal e presta consultoria jurídica gratuita.

Dr. Ricardo Pereira Chiaraba
Consultor jurídico da Associação Brasileira dos Mutuários da Habitação (ABMH) em Sorocaba
Telefone: (15) 3224-1191

Dr. Alexandre Naves Soares
Diretor executivo do escritório de representação da Associação Brasileira dos Mutuários da Habitação (ABMH) em São Paulo (SP)
Telefone: (11) 5083-0020



segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Biometria deve autenticar 226 bilhões de pagamentos em 2020

Estudo realizado pela consultoria Goode Intelligence revela que em 2020 o uso da tecnologia biométrica estará tão incorporado às transações comerciais, que será responsável por tornar seguros mais de 226 bilhões de pagamentos – numa movimentação em torno de 5,6 trilhões de dólares. De acordo com o autor do estudo, Alan Goode, a autenticação segura de pagamentos realizados neste ano já envolve mais de 50 milhões de clientes.

Na opinião de Phil Scarfo, vice-presidente mundial de marketing da HID Biometrics, a identificação biométrica de impressões digitais torna alguns processos mais rápidos e confiáveis, principalmente as transações bancárias. “Hoje, cerca de 90 mil caixas eletrônicos brasileiros contam com sensores biométricos, mas ainda há quase 70 mil que precisam investir nessa tecnologia tão conveniente e segura. Os sensores de imagem multiespectral empregam diversos comprimentos de ondas luminosas em conjunto com modernas técnicas de polarização para obter características singulares da impressão digital, tanto da superfície da pele quanto de uma subcamada que reproduz o mesmo padrão. Sendo assim, essa tecnologia não apenas confere a impressão digital externa, quanto interna. Por isso é tão eficiente no combate às tentativas de fraude, sendo bastante efetiva na rápida identificação de dedos molhados, machucados, oleosos ou ressecados já na primeira tentativa de uso”.

Scarfo atribui a adesão em massa à autenticação biométrica da impressão digital ao fato de ser uma tecnologia muito eficiente contra fraudes e ainda assim bastante viável do ponto de vista do investimento. “Hoje em dia existem dois tipos de organizações: as que sabem que estão sendo hackeadas e as que não sabem. Infelizmente, todas são vulneráveis e suscetíveis a ataques – que são constantemente aprimorados. Como nenhuma ferramenta é capaz de oferecer 100% de segurança por muito tempo, nos empenhamos em atualizar nossa tecnologia regularmente. Hoje, a leitura da impressão digital de uma pessoa consegue provar se ela é mesmo quem está dizendo que é, identificando também o local, data e hora em que está acessando determinado serviço. O sensor de imagem multiespectral consegue classificar corretamente 99,5% das pessoas e das impressões digitais falsas”.

O executivo diz que as tentativas de fraudar a tecnologia de impressão digital convencional estão aumentando rapidamente e também estão se tornando mais sofisticadas. “Os fraudadores se aproveitam de imagens de baixa qualidade e da falta de dispositivos no mercado que diferenciem um dedo humano vivo de um dedo falso. A tecnologia de imagem multiespectral resolve esses dois problemas, já que produz uma imagem de alta qualidade, é confiável e verifica se a impressão digital pertence mesmo ao usuário em questão”. Além de proporcionar identificação biométrica superior, Scarfo diz que há a possibilidade de combinar a autenticação biométrica com um segundo fator, como, por exemplo, um documento de identidade. “Trata-se de outro diferencial da HID Global para oferecer autenticação segura e dar ao cliente uma ampla gama de opções para gerenciar tanto a identidade como o controle de acesso do usuário. Assim, os clientes são beneficiados com segurança e comodidade, enquanto os prestadores de serviços reduzem suas vulnerabilidades, ameaças e desfrutam de um retorno sobre o seu investimento”.


Fontes:

http://www.goodeintelligence.com/report-store/view/biometrics-for-payments-payment-security-gets-personal-market-technology-analysis-adoption-strategies-forecasts-20152020


Phil Scarfo, vice-presidente mundial de marketing da HID Biometrics -www.hidglobal.com


Sobre a HID Global


A HID Global é a fonte confiável de produtos inovadores, serviços, soluções e know-how relacionado com criação, gerenciamento e uso de identidades seguras para milhões de clientes em todo o mundo. Mercados atendidos pela empresa incluem controle de acesso físico e lógico, com autenticação forte e gerenciamento de credenciais; impressão e personalização de cartões; sistemas de gestão de visitantes; identidades altamente seguras para cidadãos e governo; e tecnologias de identificação RFID utilizadas na identidade animal, indústria e aplicações de logística. As principais marcas da companhia incluem ActivID®, EasyLobby®, FARGO®, IdenTrust®, LaserCard®, Lumidigm®, HID Biometrics®. Com sede em Austin, Texas, a HID Global tem mais de 2.100 funcionários no mundo todo e opera escritórios internacionais que atendem mais de 100 países. A HID Global® é uma marca do Grupo ASSA ABLOY.