PROGRAMA BALADA DA FADA

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Patricia Freitas disputa a medal race do Europeu de RS:X, na Itália

A competição, que reúne as melhores atletas da classe no mundo, termina neste sábado e vale vaga para o evento teste Aquece Rio

No penúltimo dia de regatas em Palermo, na Itália, Patricia Freitas garantiu a vaga para a disputa da regata final do Campeonato Europeu de RS:X, a medal race, amanhã, dia 27. A competição, que começou no dia 22, chegou a ter regatas suspensas por falta de vento, mas foi concluída no início da tarde desta sexta-feira. O grupo de 62 velejadoras foi divido em dois, gold e silver, por ordem de pontuação. Patricia fechou a classificação em 9º lugar e as dez primeiras colocadas do grupo gold disputam a regata final.

"A ideia de disputar o Europeu era me preparar para o Pan, especialmente pela característica do vento, que é parecida com que vou encontrar, em Toronto. Mas não foi bem assim, nos dias de vento fraco, não teve regata, e quando teve, o vento estava forte. Mas o nível aqui está altíssimo, como um mundial. Ter a vaga para a medal race é maravilhoso", comemora Patricia.

O Campeonato Europeu de RS:X vale como seletiva para o Aquece Rio, evento teste para os Jogos Olímpicos de 2016, que será realizado em agosto. Após o torneio, Patrícia Freitas tem pela frente os Jogos Pan-americanos, em que defende a medalha de ouro conquistada em Guadalajara, 2011. A atleta embarca para Toronto no início do próximo mês.

Visita de Dilma aos EUA sinaliza retomada da relação política entre governos, fala especialista em relações internacionais


Escute o podcast da UNESP

 http://podcast.unesp.br/podmundo-25062015-mundo-e-politica-visita-de-dilma-aos-eua-sinaliza-retomada-da-relacao-politica-entre-governos-fala-especialista-em-relacoes-internacionais

Consórcio Pesquisa Café é modelo inovador na geração e transferência de tecnologias para a cafeicultura


Abertura do IX Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil reúne mais de 500 especialistas do setor no Centro de Convenções de Curitiba - Paraná


Começou nesta quarta-feira (24) e vai até sexta-feira (26) o IX Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil, que acontece no Centro de Convenções de Curitiba. Participam do encontro mais de 500 pesquisadores, técnicos, estudantes, produtores, empresários e lideranças do setor.


“Contando com 130 projetos de pesquisa e 623 planos de ação, que envolvem mais de 800 pesquisadores, professores e técnicos, o arranjo institucional do consórcio é um modelo único no mundo”, disse Gabriel Bartholo, gerente-geral da Embrapa Café, coordenadora do Consórcio Pesquisa Café, na palestra de abertura.


De acordo com Bartholo, a produção brasileira de café era de 18,9 milhões de sacas em 1997, quando o Consórcio foi fundado, volume que chegou a 45, 3 milhões em 2014. “Esse acréscimo se deve, em grande medida, à aplicação das novas tecnologias geradas pelas entidades integrantes do Consórcio Pesquisa Café”, acrescentou.


Entre os avanços obtidos no âmbito do Consórcio, Bartholo cita a ampliação do conhecimento sobre o estresse hídrico controlado; manejo da adubação; cultivares resistentes a nematoides, ferrugem e bicho-mineiro; utilização da braquiária como planta de cobertura nas entrelinhas das lavouras; manejo da poda e colheita – manual, semimecanizada e mecanizada – e estudos sobre consumo de café e seus efeitos na saúde humana. O gerente também destacou o esforço envolvido no sequenciamento do genoma funcional das espécies Coffea arabica e Coffea canephora.


Gerência de Transferência de Tecnologia da Embrapa Café

Centro de Convenções de Curitiba - Paraná
Contatos: cafe.imprensa@embrapa.br / 61 3448-4010

Agenda da alimentação saudável é fundamental para o Brasil enfrentar os novos desafios

As prioridades para o próximo período que estão no PPA foram discutidas nessa quarta-feira (24), durante a 20ª reunião do Pleno Executivo da Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional (Caisan), coordenada pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

O PPA 2016-2019 define oito objetivos, como a ampliação e a oferta de alimentos saudáveis; da disponibilidade desses produtos nas mais diferentes regiões; a educação alimentar, levando informação ao consumidor sobre a qualidade nutricional dos alimentos, e a importância da alimentação saudável, bem como os estímulos no ambiente escolar.

“Colocamos a agenda da alimentação saudável como prioritária para o próximo período”, disse o secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS, Arnoldo de Campos, que também é secretário executivo da Caisan. Segundo ele, as ações desse plano são mais inovadoras porque o governo aperfeiçoou as metas, iniciativas e objetivos.

Brasília, 25 – A segurança alimentar e nutricional será prioridade no Plano Plurianual (PPA) 2016-2019. O Brasil acumula vários resultados positivos, como a saída do mapa da fome da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), e agora terá outros desafios, como o combate à obesidade e ao sobrepeso, além da promoção de ações de segurança alimentar e nutricional para os povos e comunidades tradicionais que ainda estão em insegurança alimentar.

“Temos um PPA muito qualificado que vai dar um horizonte de trabalho muito rico e com mais resultados. Conseguimos mais engajamento dos ministérios e uma maior articulação. O plano é intersetorial, com uma visão federativa maior, principalmente porque já temos uma experiência acumulada nesses anos e muitos resultados obtidos. Temos um legado e agora podemos avançar a partir dele”, acrescentou o secretário.

Arnoldo destaca que o PPA foi construído com a participação da sociedade e procura responder aos seus anseios. “Ouvimos as pessoas antes e durante a construção do plano. O plano reflete esse diálogo. As diversas propostas que estão hoje no PPA foram trazidas pela sociedade e compõem as prioridades do governo federal”, reforça.

A 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, que será realizada em novembro, também foi tema da reunião. Com o tema “Comida de verdade no campo e na cidade: por direitos e soberania alimentar”, o encontro organizado pela sociedade civil contará com a participação dos governos municipais, estaduais e federal.

Para o secretário, o evento será um momento de avaliação do que foi feito, mas também será oportunidade para discutir os desafios. “Temos que prestar contas para a sociedade civil de tudo que fizemos e conquistamos nos últimos anos. Esse é o dever do governo. Queremos garantir que nossa participação seja mais qualificada possível, respeitando a sociedade no direito que ela tem de saber o que estamos fazendo”, ressalta Arnoldo.

Informações sobre os programas do MDS:
0800-707-2003
mdspravoce.mds.gov.br